"Nada é impossível ao amor" (Santa Maria Eufrásia)

BEATA MARIA DO DIVINO CORAÇÃO

  • galeria

A Congregação das Irmãs de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor e a Diocese do Porto viveram o jubileu do 150 aniversário de nascimento da Beata Maria do Divino Coração. Aberto, em 15 de setembro de 2012 com uma sessão solene, na Casa Diocesana de Vilar, as comemorações jubilares culminaram na Eucaristia festiva celebrada no dia exato do aniversário –  8 de setembro (1863-2013), festa da Natividade da Virgem Maria – no lugar onde se encontra o túmulo da Bem-aventurada, a Igreja do Sagrado Coração de Jesus do Instituto do Bom Pastor, em Ermesinde. Presidiu Sua Excelência Reverendíssima, D. Pio Alves, Administrador Apostólico do Porto. Concelebraram o pároco de Ermesinde, o pároco de Darfeld (Münster), onde a Beata viveu a sua infância e juventude, o pároco de Paranhos, onde a Irmã Maria viveu os últimos anos da sua vida mortal, o reitor do Santuário de Cristo-Rei (Almada) e, ainda, o superior da comunidade local dos Missionários da Consolata, que celebram habitualmente nessa Igreja.

Na assembleia, que não foi possível conter no espaço da Igreja, destacava-se uma representação de 40 membros da família de sangue da Irmã Maria Droste zu Vischering, incluindo o atual conde, e um número significativo de Irmãs da Congregação do Bom Pastor vindas de várias partes do País e do estrangeiro (França, Brasil, etc.). Ao júbilo associaram-se irmãs de outras Congregações e Institutos, presentes na nossa Diocese.

Foi uma celebração marcada pela beleza da liturgia com a harmonia da música litúrgica dinamizada por um coro constituído por coralistas dos vários coros paroquiais de Ermesinde e dirigido pelo diácono José Joaquim Ribeiro, com a colaboração do organista Vasco Soeiro e de um quinteto de metais, tímpanos e flauta.

Na homilia, D. Pio Alves, partiu da pergunta que todo o ser humano leva consigo: «para que serve a minha vida? que caminho devo seguir para encontrar e viver a felicidade?». Partindo das leituras do 23º Domingo do Tempo Comum/C, focou-se na resposta do crente a esta pergunta. A partir do Evangelho «somos convidados a perceber que a verdadeira resposta está na completa generosidade, na indefetível confiança em Deus. Uma generosidade, uma confiança que se sobrepõe aos laços familiares, que vai para além da importância dos bens materiais, que ultrapassa a própria vida. A felicidade é proporcional à generosidade. Uma generosidade que, como sucede em qualquer outra tarefa verdadeiramente humana, implica esforço, trabalho, a assunção da própria cruz de cada dia, por amor. E é esta cadeia de gestos que nos introduz na escola do Mestre. Sem isso, diz o Senhor, “não pode(s) ser meu discípulo”.

Esta adequada conjugação de projeto de Deus e liberdade humana, de magnanimidade de Deus e generosidade humana, transforma as vidas e a Sociedade».

No final da sua homilia, o Administrador Apostólico do Porto centrou-se no testemunho da Beata Maria Droste. Transcrevemos:

«Há 150 anos, nasceu em Münster Maria, filha dos condes Droste zu Vischering, da mais elevada nobreza alemã. Não se refugiou na qualidade social da sua ascendência nem na legítima preocupação pela gestão de bens materiais.

Aos 15 anos deixou que entrassem na sua vida as palavras de um sacerdote que dizia que, a Jesus Cristo, não podemos senão brindar-lhe um coração totalmente sincero. E, com a sinceridade de um coração jovem, escreveu: “Com gosto, teria tapado os ouvidos da minha alma, mas foi impossível renunciar à voz de Deus. Neste dia começou Nosso Senhor a atrair-me de uma maneira muito especial, roubando-me, por fim, o coração”. Para dizer verdade, não é impossível renunciar a ouvir a voz de Deus: é sempre possível a infidelidade.

Mas na vida da que viria a ser a Beata Maria a força da generosidade do amor ganhou a batalha das nossas limitações. E, como nos recorda o evangelho da Missa de hoje, deixou a família de sangue, deixou o património, deixou a terra natal, deixou a própria vida para se dedicar aos mais pobres, que são sempre aqueles a quem roubaram a dignidade. E, pela via da gozosa obediência, rumou à nossa Diocese, à nossa Cidade. E aqui, ancorada no Coração do Divino Mestre, viveu o apelo de S. Paulo na Carta aos Efésios (3, 17-19): “que Cristo habite pela fé nos vossos corações, a fim de que, estando arraigados e fundados em amor, possais compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios até à inteira plenitude de Deus”.

Celebrar os Santos, como reviver a História, não é um mero exercício de memória fixado no passado. Celebrar os Santos é uma oportunidade para encontrar ou reencontrar o nosso próprio caminho de fidelidade a Deus. É uma ocasião para, com a sua intercessão, descobrir o nosso lugar nos projetos de Deus e na história dos homens.

Na Nota Pastoral publicada pela Conferência Episcopal Portuguesa por ocasião desta efeméride, e na esteira do que foi a vida da Beata Maria, são-nos feitas as seguintes propostas: “viver centrados no amor de Jesus”; “rezar e sacrificar-se pelos sacerdotes”; “cultivar um amor sincero e dedicado à Igreja, especialmente ao Papa”; “praticar o serviço aos pobres e marginalizados”; “progredir no ‘amor de Cristo, que ultrapassa todo conhecimento’ ”; “colocarmos no centro das nossas vidas a Eucaristia celebrada, comungada e adorada”.

Movidos pelo seu exemplo e apoiados na sua intercessão, pedimos para todos o dom da generosa fidelidade a Jesus Cristo».

* * *

Antes da bênção e despedida o Conde Droste zu Vischering entregou ao Reitor do Santuário de Cristo Rei (Almada) uma pedra extraída da Capela do Castelo de Darfeld, a casa familiar da Irmã Maria, para ser colocada como fundamento de uma futura igreja a edificar nesse Santuário Nacional do Coração de Jesus.

Mas a celebração não terminou sem um novo e auspicioso anúncio, feito por D. Pio Alves: no próximo dia 1 de novembro, no Tribunal Eclesiástico de Rockville Centre, Nova York (USA), vai ter lugar a sessão solene de encerramento do processo de averiguação e certificação de um milagre atribuído à intercessão da Beata Maria do Divino Coração. Tudo indica que a sentença será favorável. O processo transitará depois para o Vaticano, para ser reapreciado pela Congregação da Causa dos Santos. A canonização da Beata Maria poderá estar para breve.

150º aniversário da Beata Maria do Divino Coração

  • galeria

Notícia /Convite

 

No dia 8 de Setembro de 2013 completam-se cento e cinquenta anos sobre o nascimento da Condessa Maria Droste zu Vischering, a nossa Beata Maria do Divino Coração.

 

Sobram razões para celebrarmos e agradecermos ao Divino Coração a vida desta mulher que, numa simplicidade heróica, e ao jeito do Bom Pastor, deixou marcas na história do seu tempo e ainda hoje nos estimula a uma entrega incondicional ao Coração de Cristo.

 

Vamos pois, de 15 de Setembro de 2012 a 8 de Setembro de 2013, viver um ano de celebrações, para as quais iremos alertando a seu tempo.

 

 

A Congregação de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor vem, por este meio, convidar Vossa Excelência e sua família a participar na Sessão Solene de abertura das Celebrações do 150 aniversário de nascimento da Beata Maria do Divino Coração.

 

A Sessão ocorrerá no dia 15 de Setembro de 2012, na Casa Diocesana de Vilar com o seguinte programa:

 

- Abertura pelas 15h00

- Painel com a intervenção de:

. D. Manuel Clemente

. Dr. Pe. Dário Pedroso s.j.

. Dr. Pe. José Ricardo Rocha Dias

- Intervalo

- Eucaristia presidida pelo Sr. D. Manuel Clemente.

 

A sua presença será para nós gratificante.

 

            A Congregação do Bom Pastor

Beata Maria Droste

  • galeria

No dia 13 de Fevereiro de 1964, o Santo Padre Paulo VI, promulgou o Decreto sobre a heroicidade das virtudes da, hoje Beata, Maria do Divino Coração.

Volvidos 48 anos, agradeçamos ao Senhor esta graça e imploremos os seus favores no sentido de apressar a canonização

Festa de Santa Maria Eufrásia Pelletier

  • galeria

Este ano, no dia 24 de Abril, vamos celebrar a Páscoa do Senhor, por isso, segundo o Calendário Litúrdico, a festa de Santa Maria Eufrásia é transferida para o dia 2 de Maio.

Por feliz coincidência, celebramos neste dia, 71 anos da sua canonização.

  • BEATA MARIA DO DIVINO CORAÇÃO

    [ver mais]

  • 150º aniversário da Beata Maria do Divino Coração

    [ver mais]

  • Beata Maria Droste

    No dia 13 de Fevereiro de 1964,< ...
    [ver mais]

  • Festa de Santa Maria Eufrásia Pelletier

    Este ano, no dia 24 de Abril, vamos celebrar a [ver mais]

pensamento
"Quando nos abandonamos inteiramente à Divina Providência, nunca nos falta o necessário". (Beata Maria do Divino Coração)
identidade | a história que se faz | em missão | fotos | notícias | chamo-as pelo seu nome | partilha | links | encontros | contactos
Site com resolução de 1024x768 | Todos os direitos reservados